Hapkido
História

 
No início dos tempos, as artes marciais já eram praticadas não só pelo exercício físico dos monges, mas para que determinados povos lutassem por seus objetivos. Dessa mesma forma, numa época passada, o país que hoje conhecemos por Coréia, era dividido em três reinos: Silla, Koguryo e Paekche.
 
Dentro dos conflitos decorrentes destes três reinos, todos tinham em comum a prática das Artes Marciais. Estas artes continuaram sendo treinadas e desenvolvidas até os dias de hoje, sofrendo grande influência de países vizinhos como China e Japão.
 
Assim, com toda estrutura já existente dos estilos coreanos, tendo sempre chutes como forte característica, mais o arsenal de golpes e tecnicas de imobilização dos mestres Hwarangs, nomes de estilos vão surgindo como Hapki-Wonsul, Hapki-Yusul e finalmente Hapki-do. O Hapki-do acabou sendo a arte marcial mais completa. E com isso era praticada e treinada pelos militares.
 
Na década de 60 foi criada oficialmente a "The Korea Hapkido Association", a primeira organização mundial de Hapkido, onde estavam como membros desta organização grandes nomes de mestres coreanos, na direção desta organização estavam como presidente "Dae Hoon Choi", como chairman "Chong Kyu Pak", como secretário Geral "Park Sung Jae" (atualmente vivendo no Brasil e reorganizando o Hapkido mundial) e como Mestre Geral Ji Han Jae. Os registros desse histórico estão documentados nos arquivos da "The Korea Hapkido Association".
 
É necessário acrescentar que a maioria dos estilos de Arte Marcial existentes foram denominados nesse século.
 
Difusão

 
Alguns professores coreanos chegaram aos Estados Unidos no começo da década de 60 para ensinar o Hapkido. Entretanto, o Hapkido teve seu primeiro grande contato com o ocidente no momento em que a Korea Hapkido Association enviou quinze de seus membros à guerra do Vietnã para uma demonstração às tropas americanas e sul-vietnamitas.
 
Diante deste contato, professores coreanos como Mestre Lim (BA) que formou o primeiro faixa preta na Bahia, Ricardo Nery, chegaram ao Brasil no final da década de 60. Contudo, o sistema coreano introduzido na Bahia foi o Kuk Soll Wow, uma outra arte marcial criada pelo Mestre In Hyuk Suh que havia treinado o Hapkido. Logo após Mestre Kang Byung Hak chegou em São Paulo. Em 1971 chega oficialmente em São Paulo o Grão Mestre Park Sung Jae, representando a Korea Hapkido Association. Em 1977, o Mestre Yun Sik Kim, representante da escola Bum Moo Hapkido. Alguns praticantes continuam trabalhando com o estilo dos mestres citados, embora estes não dêem supervisão integral, com exceção do Mestre Yun Sik Kim e do Grão Mestre Park Sung Jae - São Paulo.
 
GM Park Sung Jae chega ao Brasil em 6 de Março de 1972. Acredita-se que ele foi convidado pelo exército brasileiro, mas na verdade ele chegou no Brasil sem nenhum convite especial. O que aconteceu é que ele procurou o alto comando do exército e se ofereceu para ensinar os militares brasileiros. Para convencer o alto comando de suas qualidades técnicas foi preparado uma demonstração em um ginásio do exército em Quitaúna e nela o GM Park Sung Jae solicitou aos presentes que o atacassem. De forma surpreendente o GM Park Sung Jae dominou todos que o atacaram o os colocou no chão. GM Park Sung Jae agiu tão rápido que o coronel presente pediu para que ele repetisse a ação, porém aqueles que sofreram os ataques se recusaram a repetir em função dos fortes golpes que já havim sofridos. A partir de então o GM Park Sung Jae foi aceito e passou a treinar uma equipe do exército brasileiro. Em homenagem ao Hapkido e ao GM Park Sung Jae pelo seu esforço e dedicação ao ensino dos militares brasileiros foi erguido um monumento dentro do quartel do exército.
 
Com a vinda do GM Park Sung Jae para o Brasil, seu irmão mestre Park Kyu Jae passou a tomar conta das academias na Coréia. Atualmente GM Park Sung Jae continua ensinando o Hapkido, em aulas particulares para um grupo seleto de mestres e faixas pretas (entre eles Mestre Marcos Silvério) e também esta apresentando seminários no exterior e no Brasil.
 
O Gm Park Sung Jae não está oficialmente ligado a nenhuma federação internacional de Hapkido. No Brasil ele reconhece a Federação Paulista de Hapkido e a Associação Sang Hwal Yesul como as únicas a manterem as tradições do verdadeiro Hapkido.
 
Há um grupo na Coréia, nos EUA e no Brasil, incluindo amigos e ex-alunos do GM Park Sung Jae, que andam discutindo sobre a possibilidade de criar uma nova confederação internacional agregando várias linhas de Hapkido e tendo o GM Park Sung Jae como líder.